LIÇÃO 2: KATAKANA

Provavelmente, você já dominou o Hiragana. Portanto, é hora de partirmos para o segundo silabário: o Katakana. Após tê-lo aprendido, você possuirá um bom domínio da escrita japonesa.

2.1. O QUE É O KATAKANA?

Como vimos na lição anterior, o Kana originou-se a partir de Kanjis que eram usados foneticamente, apenas. Entretanto, diferentemente do Hiragana que foi desenvolvido a partir do estilo cursivo do man'yougana, o Katakana, originou-se de partes dos ideogramas – daí o nome “Katakana”, isto é, algo como “um pedaço de escrita silábica”. A tabela a seguir mostra o Kanji que deu origem a cada Katakana:

image

A criação do Katakana foi um resultado da necessidade de se ter um sistema simples com o qual os monges aprendizes pudessem transcrever e memorizar as sílabas de suas sutras. De fato, este conjunto altamente modificado de caracteres fez com que o processo de transcrição de sutras se tornasse menos tedioso. Não somente a transcrição fora simplificada, mas o conhecimento amplo necessário para a escrita precisa dos Kanjis – que em um primeiro momento não era ideal para a língua japonesa – foi também evitado. Leia o significado do vocábulo “estenografia” e você entenderá melhor a origem do Katakana:

ESTENOGRAFIA: técnica de escrita que utiliza caracteres abreviados especiais, permitindo que se anotem as palavras com a mesma rapidez com que são pronunciadas; taquigrafia, logografia, pasistenografia. (Dicionário Houaiss)

2.2. CONHECENDO OS FONEMAS

O Katakana representa o mesmo conjunto fonético do Hiragana, porém, é claro, todos os caracteres são diferentes. Vejamos:

image

Ao observar o Katakana Moji, atente-se aos seguintes fatos:

I. Todos os sons são respectivamente idênticos aos do Hiragana;

II. Como você verá mais adiante, já que 「を」 é usado somente como partícula e todas as partículas estão em Hiragana, você nunca precisará usar 「ヲ」 e, por isso, você poderá ignorá-lo sem problemas;

III. Preste muita atenção nos quatro caracteres 「シ」、「ン」、「ツ」、e 「ソ」 , pois são extremamente similares uns aos outros e facilmente confundidos. Basicamente, a diferença é que os dois primeiros são mais "horizontais" que os outros dois. As pequenas linhas tendem a ser mais horizontais e a linha longa é desenhada com uma curva de baixo para cima. Os dois últimos possuem as pequenas linhas quase verticais e a longa não é curvada tanto já que é desenhada de cima para baixo. É quase uma barra diagonal enquanto o anterior parece mais com um arco. Estes caracteres são difíceis de distinguir e requerem um pouco de paciência e prática;

IV. Os caracteres 「ノ」、「メ」、e 「ヌ」 também merecem um pouco de atenção, assim como, 「フ」、「ワ」、 e 「ウ」. Sim, todos eles são parecidos.

V. Um detalhe importante é a existência do caractere 「ヶ」. Ele parece ser uma versão em miniatura do fonema 「ケ」, mas não é. Trata-se de uma simplificação do Kanji 「箇」. Vamos observa-lo:

image

Repare que 「ヶ」foi baseado no conjunto de traços da parte superior do referido Kanji. Dependendo de sua colocação, pode ter a pronúncia 「か」,「こ」ou「が」. Por exemplo, em 「霞ヶ丘」, 「ヶ」 tem a pronúncia 「が」→ 「かすみおか」.

---

O Katakana é expressivamente mais difícil de dominar se comparado ao Hiragana, porque é usado somente para certas palavras e com isso você acaba por não praticá-lo tanto como o Hiragana. Também, considerando-se que o japonês não possui nenhum espaço entre palavras, algumas vezes o símbolo 「・」 é usado para mostrar esses espaços como em 「ロック・アンド・ロール」 para "rock and roll". Usar este símbolo é completamente opcional e, por isso, algumas vezes, nada será usado.

2.3. O TRAÇADO

Com relação à parte teórica do traçado, o que foi visto no tópico de mesmo assunto na lição 1, se aplica ao Katakana.

A tabela seguinte mostra o método para a escrita de cada caractere Katakana. Os números e as setas indicam a ordem dos traços e o sentido respectivamente:

image

Se preferir, assista ao vídeo abaixo:

NOTA: Quer praticar o traçado? Então baixe aqui folhas destinadas ao treino dos caracteres.

2.4. O SOM PROLONGADO

Praticamente tudo no silabário Katakana funciona da mesma maneira que no Hiragana, ou seja, você deverá apenas substituir caracteres Hiragana pelo equivalente Katakana. Porém, algo que é diferente é o fato que os sons prolongados são radicalmente simplificados aqui. Em vez de ter que pensar sobre os sons das vogais, todos os sons de vogais longas são indicados por um traço chamado 「ちょうおんぷ」. Ele é escrito na horizontal (ー) em texto horizontal (おうぶん) e vertical (|) em texto vertical (たてがき).

A tabela seguinte mostra os sons prolongados equivalentes em Hiragana e Katakana usando 「ハぎょう」 como exemplo:

image

O 「ちょうおんぷ」 é usado algumas vezes com o Hiragana, como por exemplo, em placas de restaurantes de ramen, nas quais 「らあめん」é escrito 「らーめん」. Entretanto, como você sabe, o Hiragana normalmente usa outra vogal para o prolongamento de sons em vez do chouonpu.

2.5. OS 「ア、イ、ウ、エ、オ」 PEQUENOS

Por causa das limitações no conjunto de sons do Kana, algumas combinações novas foram sendo criadas com o passar dos anos para representar os sons que originalmente não faziam parte da língua japonesa. As mais notáveis limitações são a falta dos sons “ti / di” e “tu / du” – por causa dos sons “chi” e “tsu” – e a falta do som da consoante“F”, exceto o 「ふ」. Para as consoantes / sh / j / ch / também falta a vogal / e /.

A decisão para resolver estas deficiências foi adicionar versões pequenas dos sons das cinco vogais. Isto também foi feito para o som da consoante / w / para substituir caracteres obsoletos. Foi também estabelecido o uso de pequenas barras duplas no fonema 「ウ」 (ヴ) juntamente com 「ア、イ、エ、オ」 pequenos para indicar a consoante / v /, mas tal método não é muito usado, provavelmente devido ao fato de que os japoneses continuam com dificuldades em pronunciar o / v /. Por exemplo, enquanto você pode achar que "volume" seja pronunciado com um som de / v /, os japoneses optaram pela simples pronuncia "bolume" (ボリューム). Da mesma forma, vodka é escrito "wokka" (ウォッカ) e não 「ヴォッカ」. Você pode escrever “violino” 「バイオリン」 ou 「ヴァイオリン」 (do inglês “violin”). Isso realmente não importa, já que quase todos os japoneses irão pronunciá-lo com o som de / b / de qualquer forma.

A tabela seguinte mostra em destaque os sons que faltavam e que foram adicionados. Outros sons que já existiam são utilizados apropriadamente:

image

2.6. O USO DO KATAKANA

Agora que conhecemos o Katakana e suas particulariedades, neste tópico abordaremos o seu uso concretamente. No japonês moderno, ele é usado basicamente para a transcrição de palavras de línguas estrangeiras, chamadas “Gairaigo” (mais detalhes na lição 9). Por exemplo, “televisão” em japonês vem do inglês “television” e é escrito (テレビ). De modo similar, o Katakana é utilizado geralmente para nomes de países, lugares estrangeiros e nomes não-japoneses de pessoas. Por exemplo, “Estados Unidos da América” é comumente escrito (アメリカ), em vez do uso de ateji (亜米利加) (mais detalhes na lição 4). Outros usos do Katakana incluem:

I. Onomatopéias: palavras usadas para representar sons. Por exemplo, (ピンポン), o "ding-dong", som de uma campanhia;

II. Termos técnicos e científicos: palavras como nomes de espécies de animais, plantas e minerais são também comumente escritas em Katakana. Por exemplo, Homo sapiens (ホモ・サピエンス), como espécie, é escrito (ヒト), em vez de seu Kanji 「人」;

III. Transcrição de nomes de corporações japonesas: este é um uso frequente, mas não “dogmático”. Por exemplo, “Suzuki” é escrito (スズキ), e Toyota, (トヨタ);

IV. Ênfase: o Katakana é também usado para ênfase, especiamente em sinalizações, anúncios publicitários e outdoors. Por exemplo, é comum encontrarmos grafias como 「ココ」 (aqui), 「ゴミ」 (lixo), ou 「メガネ」 (óculos). Palavras que o escritor deseja enfatizar em uma sentença também são escritas em Katakana, semelhante ao uso de itálico;

V. Documentos formais e funções gramaticais: em documentos oficiais anteriores à Segunda Grande Guerra, o Katakana e o Kanji eram usados conjuntamente da mesma forma que Hiragana e Kanji o são no japonês moderno, ou seja, era usado para o okurigana (lição 4) e partículas, tais como “wa” e “wo”;

VI. Telegramas e Computação: o Katakana também foi utilizado para telegramas no Japão antes de 1988, e para sistemas de computador – antes da introdução de caracteres multibyte – na década de 1980. Nesta época, a maioria dos computadores usavam Katakana em vez de Kanji ou Hiragana;

VII. Palavras chinesas-japonesas: embora as palavras emprestadas do chinês antigo sejam geralmente escritas em Kanji, palavras oriundas de dialetos chineses modernos que são emprestadas diretamente, são escritas em Katakana em vez de se usar as leituras On’yomi (lição 4). Observe o quadro abaixo:

image

A palavra “ramen”, proveniente de empréstimo do chinês e muito comum é escrita em Katakana como 「ラーメン」 em japonês e raramente é escrita em Kanji (拉麺).

VIII. Indicação de leitura on’yomi: o Katakana é usado para indicar a leitura on’yomi (derivada do chinês) de um Kanji em um dicionário de caracteres chineses. Por exemplo, o Kanji 「人」 tem uma pronúncia japonesa, escrita em Hiragana como 「ひと」, assim como uma pronúncia derivada do chinês que é escrita em Katakana como 「ジン」;

IX. Indicação de pronúncia: o Katakana é usado ​​às vezes no lugar do Hiragana como furigana (lição 4) para mostrar a pronúncia de uma palavra escrita em caracteres romanos, ou de uma palavra estrangeira, que é escrita em Kanji com base somente em seu significado, mas destinada a ser pronunciada como a original (Gikun);

X. Modos de fala: algumas vezes, o Katakana também é usado ​​para indicar palavras faladas com um sotaque estrangeiro ou de forma incomum, por personagens estrangeiros, robôs, etc. Por exemplo, em um mangá, a fala de um personagem estrangeiro ou um robô pode ser representada por 「コンニチワ」 (Olá) em vez do mais típico Hiragana 「こんにちは」;

XI. Nomes pessoais: alguns nomes japoneses pessoais são escritos em Katakana. Isto era mais comum no passado, portanto, as mulheres idosas muitas vezes têm nomes em Katakana;

XII. Atenuação de escrita: é muito comum se escrever em Katakana palavras difíceis de serem lidas em Kanji. Este fenômeno é visto frequentemente na terminologia médica. Por exemplo, na palavra 「ひふか」(皮膚科) (dermatologia), o segundo kanji, 「膚」, é considerado difícil de ler e, assim, este termo é comumente escrito 「皮フ科」 ou 「ヒフ科」, mesclando-se Kanji e Katakana. Da mesma forma, o Kanji difícil 「癌」 gan ("câncer") muitas vezes é escrito em Katakana ou Hiragana;

XIII. Notação musical: o Katakana é também utilizado para notações musicais tradicionais, como no Tozan-ryuu de shakuhachi, e em conjuntos sankyoku com koto, shamisen e shakuhachi.

2.7. A TRANSCRIÇÃO PARA O KATAKANA

A transcrição para o Katakana de uma palavra estrangeira é baseada em seu som original. Porém, uma vez que a maioria dessas palavras é ajustada ao conjunto de combinações de [consonante+vogal], ao serem transcritas, elas sofrem várias transformações radicais, resultando em casos em que, por exemplo, falantes de inglês não conseguem entender palavras que supostamente foram derivadas de seu idioma. Observe alguns exemplos:

THANK YOU = サンキュー (sankyuu)

MILK = ミルク (miruku)

TOILET = トイレ (toire)

Como resultado, o uso do Katakana é extremamente difícil para um nativo de outra língua, porque é natural que ele espera que as “versões” japonesas de palavras possuam sons parecidos com seu idioma. Portanto, esqueça completamente a palavra estrangeira original e passe a tratá-la como uma palavra japonesa totalmente separada, senão você pode cair no hábito de usar palavras estrangeiras com a pronúncia original (consequentemente uma pessoa japonesa poderá ou não entender o que você está dizendo).


Fontes:

Imabi: http://www.imabijapaneselearningcenter.com/

Wikipedia: http://en.wikipedia.org/wiki/Main_Page

Otaku Project: http://op.xisde.org/

Digitoshi: www.digitoshi.xpg.com.br

Guide to Japanese (Tae Kim): http://www.guidetojapanese.org/learn/grammar

sci.lang.japan Frequently Asked Questions: http://www.sljfaq.org/afaq/afaq.html

Let's Learn Katakana: Second Book of Basic Japanese Writing, Yasuko Kosaka Mitamura


11 comentários:

  1. muito bom as explicações, de hiragana katakana e kanji, e suas origens,, Parabéns.!

    ResponderExcluir
  2. Li 2 aulas e adorei, muito obrigado. Ser[a que conseguiria disponibilizar em pdf s aulas

    がんばって
    ありがとう

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado, Kim! Por enquanto, a disponibilização do conteúdo em PDF não está em nosso planos. Sua sugestão está anotada.

      Excluir
  3. Ótima aula!
    Simplesmente amei seu blog, pois é realmente chato de encontrar informações sobre a língua japonesa em português. Como iniciante no japonês, agradeço muito por disponibilizar todo esse material, está me ajudando muito! :D

    ResponderExcluir
  4. Muito Obrigado !!! Já comecei faz algum tempo, e com seu site irá me enriquecer bastante nos meus estudos no conhecimento japonês !

    ResponderExcluir
  5. Legal, agora sei HIRAGANA e KATAKANA!

    ARIGATOU GOZAIMASU.

    ResponderExcluir
  6. Pra quem estuda inglês e é brasileiro, entender palavras estrangeiras em katakana às vezes é fácil. Tipo, a versão japonesa de uma palavra inglesa (que você já conhece, porque você já estuda inglês) é uma "meio que" próxima do português. Por exemplo, a palavra sandália no inglês é sandal, e em japonês fica sandaru (サンダル). Assim, muitas vezes acaba aprendendo meio que automaticamente. ミルク foi assim comigo também! :)

    ResponderExcluir
  7. Boa noite!!! As explicações são ótimas, mas gostaria de saber se vocês possuem aquelas folhas para treino do katakana (como se fossem cadernos de caligrafia). Se tiver podem disponibilizar!?
    Att,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Patty H. Obrigado pela mensagem.

      Sua solicitação foi atendida. Disponibilizamos abaixo do vídeo que mostra o traçado um link para download de folhas para treino.

      Excluir